sexta-feira, 14 junho 2024

A ATUALIDADE

Ministra da Justiça classifica de fundamental o trabalho na formação profissional nas cadeias

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A ministra da Justiça manifestou-se hoje preocupada com o aumento da população prisional nas cadeias do País, que atinge os 2.100 reclusos, com incidência de criminalidade na juventude, e considerou fundamental trabalhar a formação profissional nas cadeias.

Joana Rosa disse que se está a trabalhar para se ocupar os jovens nas cadeias de forma a se preparem para a sua reinserção social, e que para além de projectos já desenvolvidos com entidades e confissões religiosas, Ministério da Justiça vai desenvolver artesanato, agricultura e criação de gado no interior das cadeias, focados na recuperação dos presos.

A governante manifestou esta preocupação durante a cerimónia de abertura da Semana Nacional do Recluso, que teve como palco a Cadeia Civil da Praia, em São Martinho, o maior estabelecimento prisional do País, onde afirmou ser necessário fazer todo um trabalho para a redução dos reclusos.

“A ocupação na cadeia é fundamental para a recuperação dos reclusos”, realçou a governante, que indicou aos reclusos que a sua presença nos estabelecimentos prisionais “é custoso para o Estado”, que é “obrigado a investir na segurança e na protecção individual de cada um”.

A governante disse que o aumento do número de reclusos se deve a falta dos próprios reclusos, mas também do sistema, designadamente do poder público, o que, atestou, terá de passar por um trabalho conjunto entre as partes para decifrar a situação que tem contribuído para a condenação dos detidos pelos males causados à sociedade, de modo estes sejam preparados para o pós-cumprimento de pena.

A este propósito, exortou os enclausurados a refletirem sobre as razões da detenção, de modo a evitar que voltem a ser privados da liberdade, razão pela qual, realçou, o Governo tem “investido muito” na reinserção social, mediante uma “maior permanência” dos técnicos sociais nas cadeias.

Disse que foi melhorada a gestão prisional e que os agentes de segurança prisional estão, doravante, capacitados para melhor entenderem a situação e o comportamento dos presos.

A Semana Nacional do Recluso, que tem como lema “Está em suas mãos em fazer o bem”, é realizada anualmente no mês de Setembro em todos os estabelecimentos prisionais a nível nacional, com o objectivo de promover a valorização, ressocialização e o espírito de equipa entre os reclusos, proporcionando assim a interatividade e o entretenimento.

Pretende-se ainda, com esta iniciativa, trabalhar a saúde física, mental e emocional, com foco na promoção da autoestima, lazer, descontração, como forma de estímulo à valorização da liberdade, estimular as qualidades e interação cultural dos reclusos e proporcionar maior harmonia ao ambiente prisional.

Incentiva ainda a boa disciplina, a valorização da vida e prevenção do suicídio no recinto prisional, o fomento à cultura da paz entre os reclusos e a humanização no contexto prisional, bem como a promoção do intercâmbio de boas práticas desportivas.

O lema deste ano surge no âmbito das múltiplas e diversas oportunidades criadas em áreas distintas através de projetos de intervenção, capacitações e actividades que promovam a valorização das suas experiências, troca de saberes, criatividade e reflexões, auxiliando o recluso na escolha do melhor caminho para sua reinserção social.

 

 

A Semana com Inforpress 

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Antonio
17 days 10 hours

Que grande reflexão do Água Lusa!!! Bem enquadrado. Até os nascidos na era portuguesa não são valorizados.

Daniel Dias
21 days 15 hours

Coitado do Leão Vulcão. Perdeu o emprego.

liketerra
23 days 8 hours

A criminalidade Murdeira já é de muito tempo e inclui os proprios admnistradores condominio que mandam os guardas agridi

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana.cv@gmail.com
asemanacv.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 / 9727634/ 993 28 23
Contacte - nos

Outras Referências