terça-feira, 27 fevereiro 2024

A ATUALIDADE

Missão da ONU na RD Congo denuncia ataques contra pessoal e veículos em Kinshasa

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 O pessoal e vários veículos da missão de manutenção da paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monusco) foram alvo de um ataque, este sábado, na capital do país, Kinshasa, denunciou a missão da ONU.

Num comunicado emitido, a chefe da Monusco, Bintou Keita, condenou "a série de ataques contra o pessoal das Nações Unidas" e pediu às autoridades congolesas "uma investigação com o propósito de processar os autores".

Vários veículos da ONU foram "saqueados e incendiados", disse Bintou Keita, sublinhando que "as ameaças e ataques contra o pessoal das Nações Unidas e as suas famílias são inaceitáveis".

A Monusco lembra que o seu pessoal está na República Democrática do Congo (RDC) para "contribuir para a consolidação da paz e a melhoria das condições de vida das populações".

No sábado realizaram-se várias manifestações em Gombe, um dos distritos de Kinshasa onde se localizam embaixadas e escritórios de organizações internacionais, como a ONU.

De acordo com os meios de comunicação locais, jovens em fúria incendiaram veículos propriedade de embaixadas de alguns países, como Costa do Marfim, e da Monusco.

Os manifestantes expressavam o seu descontentamento com o que consideram ser a indiferença da comunidade internacional perante o drama humanitário e de segurança que se vive no leste do país.

O ministro do Interior da RDC, Peter Kazadi, condenou os "atos de violência" na capital e apelou à "calma" da população.

Os recentes avanços do grupo rebelde Movimento 23 de Março (M23) na província de Kivu do Norte, no nordeste do país, agravaram o conflito e a crise humanitária.

O M23 é um grupo rebelde composto principalmente por tutsis congoleses.

Depois de um conflito entre 2012 e 2013, as autoridades e o grupo assinaram um acordo de paz, embora a milícia tenha lançado uma nova ofensiva em outubro de 2022 que levou a uma grave crise diplomática entre a RDC e o Ruanda, acusado de financiar estes rebeldes, algo que Kigali negou categoricamente.

Segundo a organização não-governamental (ONG) Save the Children, a escalada de violência no leste da República Democrática do Congo forçou pelo menos 150.000 pessoas a deslocarem-se desde 02 de fevereiro, das quais 78.000 eram crianças.

A Semana com Lusa 

11 de Fevereiro de 2024

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Tota
7 days 16 hours

CV nas mãos destes malfeitores, o povo está lixado. Porque para além de corruptos são incompetentes e diabólicos

Comentário bodona
21 days 8 hours

Parece que as coisas estão a complicar-se e de que maneira no Senegal.

Efrem Soares
27 days 13 hours

Para agradecer a reação positiva dos amigos no messenger, pelas mensagens enviadas, e propor para comentarem aqui no on

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana@gmail.com
asemana.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 | 993 28 23 | 9727634
Contacte - nos

Outras Referências