quarta-feira, 29 maio 2024

Putin apoia plano chinês para resolução da guerra na Ucrânia

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

O Presidente russo, Vladimir Putin, apoiou hoje a proposta de resolução da guerra na Ucrânia apresentada pela China, país onde inicia na quinta-feira uma visita oficial de dois dias.

Em entrevista à agência noticiosa oficial chinesa Xinhua, Putin expressou uma opinião favorável à posição de Pequim sobre uma solução política para o conflito.

O líder russo apreciou o facto de a China compreender "as raízes e o impacto geopolítico" da guerra, referindo-se a um documento publicado em fevereiro de 2023 que delineia a posição de Pequim sobre a "Resolução Política da Crise Ucraniana", como o conflito é designado no país.

 

Este documento, que inclui uma proposta de 12 pontos, reflete o "desejo sincero da China de estabilizar a situação" e sugere uma abordagem que evita a "mentalidade da Guerra Fria", segundo Putin.

O líder russo sublinhou os "quatro princípios para a resolução pacífica" da guerra promovidos há um mês pelo seu homólogo chinês, Xi Jinping, que "se enquadram perfeitamente" na proposta chinesa e garantem "uma segurança indivisível e o respeito pelo direito internacional e pela Carta das Nações Unidas".

Putin sublinhou que o seu país "não se recusou a negociar" para resolver o conflito que dura há mais de dois anos.

"Estamos abertos ao diálogo sobre a Ucrânia, mas essas negociações devem ter em conta os interesses de todos os países envolvidos no conflito, incluindo o nosso", afirmou.

A visita de Putin à China, que começa na quinta-feira e se prolonga até ao dia seguinte, segue-se a uma recente viagem de Xi à Europa, no meio de pressões do Ocidente para que o líder chinês use a sua influência junto do homólogo russo para pôr fim à ofensiva na Ucrânia.

A digressão de Xi, que não visitava a Europa há cinco anos, incluiu paragens em França, Sérvia e Hungria.

Pequim, que aprofundou os seus laços com Moscovo desde o início do conflito, apelou à realização de uma conferência internacional "reconhecida tanto pela Rússia como pela Ucrânia" para retomar o diálogo.

O primeiro ponto do plano chinês destacou a importância de “respeitar a soberania de todos os países”, numa referência à Ucrânia. “O Direito internacional, universalmente reconhecido, incluindo os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas, deve ser rigorosamente observado”, lê-se na proposta.

“A soberania, independência e integridade territorial de todos os países devem ser efetivamente preservadas”, apontou.

O Governo chinês apelou ainda ao fim da “mentalidade da Guerra Fria” – um termo frequentemente usado por Pequim para criticar a política externa dos Estados Unidos.

“A segurança de uma região não deve ser alcançada através do fortalecimento ou expansão de blocos militares”, afirma-se no documento, numa crítica implícita ao alargamento da NATO. “Os legítimos interesses e preocupações de segurança de todos os países devem ser levados a sério e tratados adequadamente”.

A visita de Putin surge também depois de, no final de abril, o Secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, ter apelado a Pequim para que "não ajude a Rússia" e não forneça ao país vizinho componentes que possam ser utilizados na sua guerra contra a Ucrânia.

Pequim negou ter vendido armas à Rússia e afirma ter uma relação comercial "normal" com Moscovo.

No entanto, as autoridades norte-americanas alertaram nas últimas semanas que as empresas chinesas estão a ajudar a indústria de armamento da Rússia, vendendo equipamento que pode ser utilizado para produzir mísseis balísticos.

A Semana com Lusa

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Antonio
1 day 14 hours

Que grande reflexão do Água Lusa!!! Bem enquadrado. Até os nascidos na era portuguesa não são valorizados.

Daniel Dias
5 days 18 hours

Coitado do Leão Vulcão. Perdeu o emprego.

liketerra
7 days 11 hours

A criminalidade Murdeira já é de muito tempo e inclui os proprios admnistradores condominio que mandam os guardas agridi

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana.cv@gmail.com
asemanacv.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 / 9727634/ 993 28 23
Contacte - nos

Outras Referências