sexta-feira, 14 junho 2024

Criminalidade no Sal: Minimercado na Murdeira alvo de assalto pela quinta vez em menos de cinco anos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O minimercado Delta no aldeamento turístico da Murdeira, no Sal, foi alvo de mais um assalto na madrugada de domingo, 19, dois meses depois de a loja ter sido arrombada por meliantes, ainda por identificar.

Esta é a quinta vez que o estabelecimento é assaltado em menos de cinco anos, mesmo com todo aparato de segurança que o proprietário tem instalado no estabelecimento.

Conforme contou o proprietário, José Luís Veloso, um português que vive há mais de duas décadas na ilha do Sal, na zona da Murdeira, que fica no meio das cidades de Espargos e de Santa Maria, é a cada dia que passa “um lugar insuportável” de morar, alegando a falta de segurança que se vive nestas imediações.

Segundo contou, no sábado, 18, assim como nos outros dias, fecharam as portas e as grades, de frente e da parte de trás, e no dia seguinte quando a funcionária veio abrir o estabelecimento ligou a dizer que estava tudo arrombado.

As grades foram arrancadas, segundo contou, com o apoio “possivelmente” de um carro, e levaram uma “grande quantidade de bebidas alcoólicas” e ainda arrombaram a máquina de caixa automática (ATM), não tendo, entretanto, conseguido tirar o dinheiro.

“Só esta semana já foram mais de cinco assaltos aqui às casas (…) há cinco anos atacaram a minha casa e dois bandidos agrediram-me e eu fiquei praticamente irreconhecível”, contou.

Daí para frente, continuou, “a segurança tem tanta deficiência que não tenha alguém que se ocupe disso”, disse, alertando que a polícia deveria ter “mais cuidado em passar com as brigadas durante a noite, que é pior”.

José Luís Veloso disse ainda que a situação está a tornar-se num “pesadelo para os moradores”, já que é a quinta vez que o seu estabelecimento é assaltado, sem que os responsáveis sejam identificados.

“A Polícia Nacional e a PJ vieram, mas isto é só esperar a próxima vez, porque vai haver uma próxima vez, não sei quando, mas com certeza vai haver. A penúltima vez foi há dois meses e do mesmo jeito”, desabafou.

O mesmo explicou que em toda a zona da Murdeira há apenas um guarda que trabalha até a uma hora da madrugada e depois vai-se embora.

“As pessoas estão todas com medo de viver aqui, o que não pode ser. Eu gostaria de ajudar, mas sozinho não consigo fazer nada”, concluiu.

Entretanto, contactamos o Comando da Polícia Nacional na Ilha do Sal e o comandante, Aguinaldo Antunes, garantiu que esteve no terreno em parceria com a Polícia Judiciária e que o caso está sob investigação, já com suspeitos deste último assalto.

A Polícia Nacional aproveitou para esclarecer que “é obrigação” da direção deste condomínio privado assumir e garantir a segurança nocturna e diurna do aldeamento turístico, em vez de deixar esta responsabilidade “nas costas da polícia”, mas prometeu reforçar, dentro do possível, as rondas nocturnas ao aldeamento turístico da Murdeira.

 

A Semana com Inforpress

liketerra
murdeira
A criminalidade Murdeira já é de muito tempo e inclui os proprios admnistradores condominio que mandam os guardas agridi
0

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Antonio
17 days 11 hours

Que grande reflexão do Água Lusa!!! Bem enquadrado. Até os nascidos na era portuguesa não são valorizados.

Daniel Dias
21 days 16 hours

Coitado do Leão Vulcão. Perdeu o emprego.

liketerra
23 days 9 hours

A criminalidade Murdeira já é de muito tempo e inclui os proprios admnistradores condominio que mandam os guardas agridi

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana.cv@gmail.com
asemanacv.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 / 9727634/ 993 28 23
Contacte - nos

Outras Referências