sexta-feira, 12 julho 2024

Sindicato questiona futuro de 210 trabalhadores em Cabo Verde com fecho da Atunlo

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 O sindicato cabo-verdiano da indústria questionou hoje o futuro de 210 trabalhadores da fábrica de processamento de pescado da Atunlo, no Mindelo, ilha de São Vicente.

 

O complexo de processamento da Atunlo e a fábrica de conservas da Frescomar (atum, melva e cavala), fábricas parceiras no Mindelo, São Vicente, bem como as conservas Sucla, na ilha de São Nicolau, formam o setor conserveiro de Cabo Verde.

 

"Já nos indicaram que não há dinheiro para continuar a atividade e que a empresa iria fechar as portas”, afirmou hoje à Lusa o presidente do Sindicato de Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil e Serviços (Siacsa), Gilberto Lima.

“Paira a incerteza” sobre o que vai acontecer depois do dia 22 de junho, último dia de 'layoff'.

Em maio, a Atunlo iniciou um processo de falência voluntária em Espanha, onde começou a realizar despedimentos em janeiro.

Em São Vicente, as atividades foram suspensas em fevereiro, com os trabalhadores colocados em 'layoff', a receber metade do salário durante quatro meses.

Os responsáveis pela unidade de São Vicente têm informado o sindicato de que não conseguem estabelecer contacto com a empresa-mãe em Espanha, disse Gilberto Lima, igualmente preocupado com a retirada de máquinas das instalações em Cabo Verde.

O material "pode servir para pagar indemnizações aos trabalhadores", muitos dos quais possuem vínculo efetivo devido à renovação de contratos.

A fábrica de conservas Frescomar, do grupo Ubago, também espanhol e situada a poucos minutos da Atunlo – de onde recebia matéria-prima e de que é sócia –, manifestou interesse em contratar os trabalhadores antes do fim do 'layoff'.

No entanto, Gilberto Lima aconselhou que essa mudança não deve levar os trabalhadores "a despedirem-se", arriscando os seus direitos de antiguidade.

A relação laboral com a Atunlo deve ser clarificada e depois "os trabalhadores são livres" de decidir o seu futuro, acrescentou.

O Siacsa agendou uma concentração para dia 22 em frente à Atunlo e apelou à intervenção do Governo, nomeadamente dos ministérios das Finanças e da Família, para "assumir as rédeas desta empresa provisoriamente" ou assegurar o valor das indemnizações.

A fábrica de processamento de pescado no Mindelo foi inaugurada em 2015, com 51% do capital nas mãos da Atunlo, 33% pertencentes à Frescomar (Ubago) e 16% à Frigrove, todas espanholas.

O objetivo era tornar a Atunlo um “operador de referência na Europa e norte de África” para produtos derivados de atum, com as fábricas de conservas entre os principais clientes do peixe ali processado.

O complexo de processamento da Atunlo e a fábrica de conservas da Frescomar (atum, melva e cavala), fábricas parceiras no Mindelo, São Vicente, bem como as conservas Sucla, na ilha de São Nicolau, formam o setor conserveiro de Cabo Verde.

O peixe enlatado e congelado representam mais de dois terços das exportações de mercadorias de Cabo Verde, dirigidos à União Europeia (UE), sendo Espanha o principal comprador.

Ainda assim, no quadro geral, representam apenas um décimo daquilo que Cabo Verde exporta em serviços: turismo, viagens e atividades associadas são o motor do qual depende quase por inteiro a economia do arquipélago.

A Semana com Lusa

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Antonio
7 days 3 hours

Quando reformar prefiro de longe ir à Universidade Sénior do que ficar a frequenrar bares e botequins com bebidas.

Daniela Santana
14 days 1 hour

Devemos todos fazer uma subscrição a favor do Leão Vulcão. Todos, todos, todos.

Americo costa feritas
14 days 5 hours

Esta noticia peca em todos os aspetos; presença dum governante, melhor vodka do mundo, produção de vodka num pais tropic

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana.cv@gmail.com
asemanacv.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 / 9727634/ 993 28 23
Contacte - nos

Outras Referências