quarta-feira, 29 maio 2024

PM cabo-verdiano promete solução para voos interilhas até final do ano

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 As ligações aéreas interilhas em Cabo Verde deverão ter uma solução estável até final do ano, disse o primeiro-ministro do país na segunda-feira, numa entrevista de balanço de três anos do segundo mandato de governação.

“Até final do ano teremos a estabilização e desenvolvimento dos nossos transportes aéreos interilhas”, referiu Ulisses Correia e Silva, num encontro com órgãos de comunicação social no Mindelo, ilha de São Vicente, em que os recorrentes cancelamentos de voos encabeçaram as questões.

A companhia estatal Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV, voos internacionais) “assumiu temporariamente as operações interilhas e vamos criar uma empresa” com 100% de capitais públicos e “obrigação de serviço público devidamente compensado” para ilhas com menos movimento.

Os voos domésticos deverão contar com mais aviões, alguns ajustados às ilhas com menos passageiros, indicou.

Ulisses Correia e Silva referiu que o contexto atual permite ao Estado construir esta nova solução, porque a estatal TACV “está a ser recuperada, estabilizada pelas operações internacionais” e isso permite aplicar capitais públicos “numa solução estruturante de serviço interilhas”, que nos últimos anos tem estado concessionada a privados, mas sem sucesso.

Por outro lado, “o mercado turístico tem estado a aumentar”, fazendo crescer a procura por voos entre ilhas, o que pode até “criar condições para outra companhia poder operar, sem prejuízo de o capital público estar ali presente”.

A concessionária Bestfly cessou operações em abril após cancelamentos frequentes e a TACV, que só realizava voos internacionais, assumiu as ligações domésticas, ainda assim sujeitas a falhas por só dispor de dois aviões para o efeito.

Os transportes aéreos e marítimos interilhas “são áreas de soberania" onde não pode "haver falhas e descontinuidades”, referiu Ulisses Correia e Silva.

Temos de ganhar escala, dimensão para ganhar tranquilidade e estabilidade, que é um aspeto crítico de Cabo Verde”, porque os transportes “mexem com economia local, com mobilidade e o desejo natural de as pessoas poderem circular, a bom preço”, concluiu.

A Semana com Lusa

 

120 Characters left


Colunistas

Opiniões e Feedback

Antonio
1 day 13 hours

Que grande reflexão do Água Lusa!!! Bem enquadrado. Até os nascidos na era portuguesa não são valorizados.

Daniel Dias
5 days 18 hours

Coitado do Leão Vulcão. Perdeu o emprego.

liketerra
7 days 11 hours

A criminalidade Murdeira já é de muito tempo e inclui os proprios admnistradores condominio que mandam os guardas agridi

Pub-reportagem

publireport

Rua Vila do Maio, Palmarejo Praia
Email: asemana.cv@gmail.com
asemanacv.comercial@gmail.com
Telefones: +238 3533944 / 9727634/ 993 28 23
Contacte - nos

Outras Referências